SuperBanner

Site Pessoas com Deficiência (PCD)

Lei, Inclusão, Isenção e Vagas

Atleta deficiente físico consegue dinheiro de internautas para financiar documentário sobre superação

O americano Luke Ericson tem um nobre missão: mostrar às pessoas com deficiências físicas que suas dificuldades podem ser superadas. O rapaz, que mora no Havaí, nasceu sem o braço esquerdo e, no mesmo lado do corpo, seu pulmão pouco se desenvolveu. Apesar das limitações, desde criança, ele se empenhou em dar seu melhor para resolver tudo sozinho. Adulto, ele conseguiu dinheiro de internautas para estrelar um documentário e mostrar aos demais deficientes que “elas podem ser quem quiserem ser”.

Para provar que, mesmo sem um braço, ele poderia ser tão capaz quanto qualquer outra pessoa, o jovem resolveu se tornar um atleta fisiculturista. Treinando pesado e sem ajuda de equipamentos especiais – apenas adaptando seus movimentos -, ele esculpiu um corpo sarado e já participa de concursos mundiais de crossfit – uma modalidade esportiva que incluiu levantamento de peso e atividades aeróbicas.

Atleta deficiente físico

Através da internet, ele tem divulgado fotos e vídeos de seus treinos, além de mensagens de inspiração. Em novembro do ano passado, ele começou uma petição num site de financiamento para pedir dinheiro e produzir um documentário sobre sua trajetória.

“Todos os dias, eu recebo mensagens e cartas de pessoas me falando sobre como a minha história as inspirou a quebrar as próprias barrerias. Eu sou parado por pessoas na academia que me dizem incentivadas pela minha determinação. Estou constantemente em contato com outros deficientes físicos. É por isso que eu continuam aumentando meus limites. Para aqueles pessoas cuja vida eu posso trazer uma diferença”, conta Ericson. “O documentário vai levar a centenas de milhares de pessoas a minha história”.

No último dia 19, ele conseguiu os cerca de R$ 7 mil para produzir o vídeo. As gravações foram feitas antes dele ter toda a quantia. Com ajuda de um amigo cinegrafista, ele filmou seus dias de treinamento durante nove dias no Havaí. O material deve ser editado e lançado em breve.

“Eu nunca vi razão para não fazer alguma coisa, seja natação, surf, escalada em rocha ou crossfit. Se eu quero muito algo, eu vou encontrar uma maneira de fazer isso acontecer”, conclui Ericson confiante.

 

Fonte: O Globo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

catorze − seis =