SuperBanner

Site Pessoas com Deficiência (PCD)

Lei, Inclusão, Isenção e Vagas

Estudantes armam “pegadinha” para conscientizar infratores

parou-ganhou-pegadinha

Um problema que já se tornou comum na cidade é a falta de conscientização em relação ao uso de vagas de estacionamento exclusivas para deficientes físicos. Para chamar a atenção da população, 15 alunos do oitavo período do curso de publicidade e propaganda da Esamc Sorocaba desenvolveram uma campanha, que resultou em um vídeo de flagrantes de pessoas utilizando essas vagas de maneira irregular. A proposta é fazer com que o vídeo se torne viral e seja assistido por milhares de pessoas.

Rodrigo Vieira Mustafa é um dos idealizadores da ação e conta que com a permissão dos estabelecimentos comerciais, o grupo passava o dia observando o uso dessas vagas e aguardava a chegada de alguém que não tivesse nenhuma deficiência aparente estacionasse no local. “Nós esperávamos a pessoa chegar, e aí um de nós seguia essa pessoa no estabelecimento, até para ter certeza de que ela não possuía nenhuma deficiência ou que não estava indo buscar algum deficiente”, explica.

A abordagem acontecia quando o infrator retornava ao seu veículo e um ator disfarçado de repórter anunciava que ele havia ganhado um prêmio intitulado “Parou, Ganhou” e uma cadeira de rodas era dada a pessoa. Moças segurando faixas e mais alguns estudantes também participaram da ação. “Nós escolhemos a cadeira de rodas para premiar porque ela pode representar todas as deficiências.”
No vídeo é possível constatar que os participantes involuntários reagiram de maneiras diferentes durante o flagrante. “Alguns ficaram muito bravos, xingaram e até queriam partir para a agressão física, mas algumas ficaram com vergonha mesmo.”

Além de pessoas utilizando as vagas sem a devida identificação no carro, há também uma mulher que estaciona no local destinado aos deficientes e seu veículo está adesivado de maneira que permite a ação, porém, ao ser abordada pelos estudantes disfarçados, ela afirma que o adesivo foi colocado no carro por conta de seu esposo, que realmente é portador de necessidades especiais, mas que ele não estava a acompanhando no momento. “Eu só estacionei aqui para entregar uma mercadoria, mas já estou indo embora”, justifica ela no vídeo.

Fonte: cruzeirodosul.inf.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

7 − seis =