SuperBanner

Site Pessoas com Deficiência (PCD)

Lei, Inclusão, Isenção e Vagas

Pessoas com deficiência cobram recuperação de calçada destruída por construtora no Farol

Investimento da Prefeitura feito há mais de um ano está deteriorado por conta de obra

220678_ext_arquivoPessoas com deficiência física estão na bronca por enfrentar sérios problemas de risco de acidente, no tocante à acessibilidade na rota de acesso à Adefal. É que todo o trecho da calçada do Cepa, na parte que margeia a Avenida Fernandes Lima, emendando com a rua Clementino do Monte indo até a Associação, localidade que no Brasil é tida como referência de acessibilidade, depois de uma amplo investimento da Prefeitura feito há mais de um ano, hoje está todo deteriorado por conta de uma obra que vem sendo executada pela construtora Cone, a serviço da Algás, e que não vem sendo recuperado como de origem.

Ontem no plenário da Câmara de Maceió, o vereador Luiz Carlos Santana (DEM) se manifestou sobre o assunto, cobrando medidas urgentes para que a situação seja resolvida tão logo. Ameaçou até entrar com uma ação contra a Construtora. “Na última semana se reunimos com dirigentes da Adefal, a fim de buscar medidas urgentes, já que os deficientes que frequentam a entidade têm reclamado constantemente do perigo que se tornou na região”, disse o vereador.

Diz Luiz Carlos Santana, que a revitalização da calçada com cerca de 400 metros de extensão, foi fruto de um movimento que tem se engajado pelos direitos das pessoas com deficiência, onde sempre tem buscado melhoras nos serviços de acessibilidade junto ao poder público. “A calçada tem até piso tátil, que são relevos que permitem a uma pessoa com deficiência visual ou qualquer outra pessoa, que se guie pelas fissuras. Na verdade a obra contempla todas as exigências da ABNT, que é a Associação Brasileira de Normas Técnicas”, comentou.

O curioso de tudo isso, é que somente nesta quinta-feira, foi que a Superintendência Municipal de Controle e Convívio Urbano –SMCCU- órgão que fiscaliza as obras na capital, veio tomar conhecimento da tal irregularidade por meio de cobrança do próprio vereador Luiz Carlos Santana. “A SMCCU não sabia. Mas hoje pela manhã designamos uma equipe de fiscalização para acompanhar o trajeto da obra, que continua pela Fernandes Lima, onde advertimos a Construtora CONE que somente liberaremos o Habite-se depois de toda calçada recuperada, da mesma forma como encontraram”, disse o superintendente do órgão, Reinaldo Braga.

Fonte: www.tribunahoje.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Imagem CAPTCHA

*