SuperBanner

Site Pessoas com Deficiência (PCD)

Lei, Inclusão, Isenção e Vagas

Bebê que nasceu sem braços aprende a se equilibrar e ganha skate

bebê-sem-braçosAs adversidades do bebê Heitor Cordeiro, de 1 ano e 5 meses, que nasceu sem os braços e com encurtamento das pernas, não o impedem de testar seus limites e surpreender. O menino, que mora em Sorocaba (SP) e teve sua história contada pelo G1 em 2013, já consegue se equilibrar sozinho, mesmo tendo as pernas de tamanhos diferentes, e ganhou até um skate de Dia das Crianças, comemorado neste domingo (12).

A conquista do pequeno foi motivo de comemoração para a família. A mãe, Talitalinda Aparecida Ribeiro Cordeiro, lembra que o momento durou cerca de 30 segundos. “Tudo aconteceu de forma espontânea, não forçamos nada. Estavámos brincando de futebol com ele, daí colocavamos ele de pé, até que ele se sentou na bola e colocou os pezinhos no chão. Para a nossa surpresa e felicidade, ele conseguiu se equilibrar sozinho”, lembra, orgulhosa, a mãe.

Por conta de uma má-formação, Heitor nasceu sem os braços e com problemas nos membros inferiores. Alguns ossos da perna esquerda não desenvolveram, como o fêmur e a fíbula, e o pé nasceu com apenas quatro dedos. Já na perna direita, o fêmur é encurtado.

Dessa forma, cada conquista do menino é comemorada, mas também tratada com cautela. “Assim que o Heitor sentou e se equilibrou sozinho, meu marido ficou ao redor dele, pra evitar que ele caísse e se machucasse, pra que isso não se tornasse um trauma e que o impedisse de tentar de novo”

Além de já manusear objetos com o pé, como brinquedos e o controle remoto da televisão, Heitor também aprendeu a tomar mamadeira sozinho. “Com a perna maior, ele consegue segurar a mamadeira sozinho. E eu busco incentivar isso, mas ele só aceitou fazer isso uma única vez. É claro que eu fiquei por perto para ele não se afogasse com o leite ou coisa do tipo, o que não aconteceu, mas parece que o Heitor não gostou muito da ideia e depois não quis mais fazer, talvez, por preguiça”, conta.

Skate de presente

Heitor ganhou um skate como presente de Dia das Crianças. A mãe conta que o filho viu um menino brincando com o equipamento na rua e ficou fascinado. “Esses dias ele estava lá na frente de casa com a minha mãe e o meu marido e o amigo do vizinho estava andando de skate. Daí ele não parava de falar ‘dá dá dá’. Colocamos ele no skate e ele ficou todo feliz, sentadinho em cima do brinquedo”, conta Talitalinda.

3

A ideia dos pais de Heitor é adaptar o skate conforme as necessidades da criança. “Primeiro, vamos ver se ele tem medo. Depois minha intenção é por um encosto para ele descansar as costas quando estiver sentadinho no skate e assim adaptando conforme o desenvolvimento dele”, afirma.

Descoberta da má-formação

A má-formação de Heitor foi descoberta ainda na gravidez, quando Talita, como a mãe é conhecida, foi fazer uma ultrassom, com três meses de gestação, para saber o sexo do bebê. “Foi aí que a médica falou que não estava conseguindo identificar os membros superiores do meu bebê e que os membros inferiores eram menores do que ideal para o tempo de gestação”, diz a mãe, lembrando que, naquele momento, “perdeu o chão”.

A médica orientou o casal a repetir o ultrassom depois de um mês, para poder, assim, confirmar o quadro de má-formação que havia diagnosticado. Talitalinda optou por fazer o exame com outro médico, especialista em feto, e não contou sobre o diagnóstico da médica anterior, mas a má-formação foi confirmada.

De acordo com o que o médico ortopedista explicou para os pais do bebê, logo após o nascimento, o caso de Heitor é considerado um grau de má-formação raro. E que, somente quando ele atingir dois anos de idade, será possível saber quais habilidades ele irá desenvolver, que cirurgias poderão ser realizadas e qual tipo de prótese é ideal para ele. Enquanto isso, o menino é submetido a sessões de fisioterapia, terapia ocupacional e tem o acompanhamento constante do médico ortopedista.

4

Ela e o marido, Marcos Adriano Cordeiro Junior, de 22 anos, criaram uma página em uma rede social onde relatam o desenvolvimento de Heitor desde o nascimento. A página tem mais de 70 mil seguidores.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Imagem CAPTCHA

*